GL

"Para quem tem pensamento forte, o impossível é só questão de opinião" Chorão - CBJ

Nosso e-mail: umgoldenemnossavida@hotmail.com

27 de out de 2010

LUNA ATACADA POR PIT BULL!!

Sempre utilizamos este blog para contar histórias engraçadas e muitas vezes embaraçosas, mas dessa vez, infelizmente, vamos utilizar para manifestar nosso repúdio e indignação.

Ontem era mais um dia comum com um passeio na pracinha próxima de casa no fim da tarde, início da noite. Agora com o horário de verão, os dias escurecem mais tarde e as pessoas com os seus filhos aproveitam mais os parques.

A Luna, no final de semana, aproveitou a liberdade no pátio da empresa para comer tudo o que NÃO tinha direito, e como conseqüência, apresentou probleminhas fisiológicos. É..., tudo que entra sai e nem sempre a saída é na consistência devida.

Diante desta situação, ficou decidido que ela não passearia pelas gramas do parque, para não fazer a limpa e comer tudo que estivesse na frente (balas, palitos de picolé, chiclete, pedra, mato, galhos...). Pois é, infelizmente nossas praças, mesmo que limpo pela prefeitura, minutos depois já está cheio de lixo novamente. Culpa da educação de muitos.

Ficamos conversando com mais três donos de cachorros e trocando experiências dos mesmos. Sem ser um dono orgulhoso demais, Luna chama muito atenção por seu carinho e beleza. Foi então que uma criança veio pedir para dar uma voltinha com ela. Tudo muito normal, até um cachorro da raça pit bull decidir que Luna seria sua inimiga mortal.

A menina saiu de perto de nós com a Luna, e em uma de suas corridas, acabou tropeçando e caindo. O pit bull que, pasmem, ESTAVA SOLTO, correu na direção de Luna, (por um momento parecia um ataque de trigre a uma presa), e deu o seu bote, fazendo Luna gritar desesperadamente e girar pelo ar na boca do pit bull. O pânico se instalou, a praça parou e todos olharam a cena estarrecedora.

O dono do cachorro correu para tentar conter o animal, em vão. Eu, talvez “cego” pela cena, e pelos gritos desesperados de Luna, corri em direção ao pit bull e o ataquei. Por sorte, e por Deus, pois só isso, fez o cachorro parar de morder Luna, ele a soltou. Sabemos o quanto mortal é um ataque de um cachorro desses.

Podemos dizer que o anjo da guarda de Luna é forte, pois foi um milagre que o cachorro não a mordeu o suficiente para machucar. Acreditamos que a mordida foi amortecida pela guia peitoral que Luna usava e que o agressor não teve tempo de consumar o ato, já que o socorro chegou rápido.

O dono do pit Bull apenas pediu desculpas e foi embora correndo, diante de xingamentos dos passantes e do medo, pois alguns pais de crianças que brincavam no parque acionaram a polícia.

Luna foi vistoriada, foi para a clínica veterinária e ficou agradecida pelos esforços prestados para seu socorro, passando as horas seguintes um pouco arredia. A menina que brincava com ela acabou chorando e pedindo desculpas, sem culpa é claro, bem como outras pessoas que presenciaram a cena.

O que podemos dizer é que Luna esta bem apesar do susto. Mas o ocorrido nos deixa muito triste, porque os passeios de Luna serão daqui pra frente apreensivos, não por culpa dos cachorros, mas por culpa exclusiva dos seus donos, que não sabem educar e distinguir quando seu animal pode agredir um outro cachorro, ou até mesmo pessoas, permitindo soltá-los num local público onde os maiores freqüentadores são crianças indefesas.

Adoramos qualquer raça de cachorros, inclusive as dos pit bulls, por acharmos uma raça forte, atlética e bonita, mas fica registrado nosso repúdio e nossa revolta, não contra as raças, mas contra a ignorância e irresponsabilidade de seus donos.

18 de out de 2010

LUNA E O MAR

Neste domingo fomos até Torres/RS, cerca de 100 km daqui. Na oportunidade apresentamos o mar para Luna. Apesar de morar perto da praia, essa foi seu primeiro contato com a areia e a brisa do mar. Chovia fininho e ventava muito, mas apesar do tempo adverso a praia estava com movimentada e por isso, além do frio que fazia, decidimos não deixar Luna entrar na água.

Se bem que na verdade ela nem tentou entrar, pois ficou encantada e alucinada com a areia branca e fofa da praia. Numa de suas velozes arrancadas resolveu frear bruscamente com as patas dianteiras e acabou afundando na areia. Por segundos ficamos apreensivos, mas instante depois, ela pediu apenas água para tirar a areia da língua e do focinho, e voltar a brincar.

Na água ela não quis entrar, mas ficou um tempão olhando atentamente para o mar meditando, como se pudesse imaginar correndo naquela água e mergulhando por aquelas ondas.

A viagem de aproximadamente uma hora foi antagônica. Na ida; o caos, pois Luna só queria brincar. Na volta; o paraíso, uma vez que dormiu a viagem inteira. Luna está um pouco irritada com a perda dos seus dentes. Os quatro caninos estão nascendo e isso a está deixando desconfortável. Pudera, os dentes que estão nascendo, são duas vezes maiores dos “dentes de leite”.

Como donos “inexperientes”, acabamos esquecendo a máquina fotográfica em casa, e perdemos a chance de tornar o dia eternizado da alegria da Luna na praia. Mas não tem problema, como moramos pertinho do mar, outras oportunidades virão.





7 de out de 2010

DOMINGO DE ELEIÇÕES NO BRASIL



Neste final de semana, aqui no Brasil, aconteceram as eleições governamentais. Toda a cidade se movimentou. Momentos ótimos para passear com Luna. Pois esta a idéia nos pareceu boa, pelo menos no começo...

Durante a manhã fomos votar e passear com ela. Pra variar, todos os olharem eram direcionados para Luna, principalmente os das crianças. Fica fácil perceber quem gosta ou não de cachorro, quando se está em companhia de um. Depois, fomos convidados a almoçar na casa de familiares, e nos convenceram a levá-la.

A idéia parecia boa: a cidade estava movimentada, havia pessoas para brincar com ela e dentro de um pátio fechado. Decidimos, então, soltar Luna. Se tivéssemos sorte a cansaríamos e nos pouparíamos para o começo da semana. Isto porque tivemos um final da semana e o final de semana muito corrido. Mas esquecemos de um pequeno detalhe, analisar a grama do local.

Quando vimos foi tarde demais, Luna parecia que estava entrando em transformação, uma metamorfose que aos poucos a tornaria o cachorro do “Incrível Huck”. É que tinha um tipo de matinho, misturado na grama, que soltava uma espécie de “pega-pega”, e era só a Luna passar perto que o negócio grudava no pelo de Luna feito imã. Quando Luna correu pela primeira vez na nossa direção estava até com o fucinho completamente verde, mas o mais importante, acima de tudo estava feliz.

Aí de quem se atrevesse a pedir para ela não ir na grama. O resultado foi que passamos na noite de domingo escovando e catando o mato colado nela. Descansar? No domingo? Quem sabe no próximo...




6 de out de 2010

ALEGRIAS, SORRISOS E RESPONSABILIDADE



Ter um cachorro em um apartamento não é uma das tarefas mais fáceis da vida. Ter um cachorro de médio/grande porte, como um golden retriever, torna esse trabalho um pouco mais intenso. Mas essa afirmação está longe de ser missão impossível. Ouvimos todos os tipos de conselhos. Desde os negativos até os mais otimistas. Uma coisa é certa, e não é mistério para ninguém: a atividade física para eles é muito, mas muito importante, principalmente para quem mora em um apartamento. Por vários motivos. Primeiro para a saúde física e mental do animal. Segundo, para a saúde física e mental dos seus donos. E em terceiro lugar, a saúde física dos móveis e do apartamento.

Nesses três meses que estamos com a Luna, que hoje está com quatro meses de vida, pudemos perceber essa diferença. Nos primeiros dias, enquanto ela tomava suas vacinas e não tinha a permissão de freqüentar a rua, nos preocupamos com nossos móveis, pois volta e meia, Luna se atracava com uma cadeira ou com um rodapé. Depois que a Luna teve carta branca para suas aventuras “extra casa”, nossos móveis ficaram, de certa forma, a salvos. Claro, não podemos esquecer de que se trata de um golden retriever, e assim como todos, são brincalhões ao extremo. Para eles não existe hora e nem lugar para brincar. Temos a obrigação de impor limites para que eles possam entender que em certos locais e horários, as brincadeiras estão suspensas. Mas as vezes, todas as nossas armaduras caem por terra depois de olhar para aqueles olhos pretos pedinchões que nos fitam fixamente por vários e vários minutos querendo brincar. Não rara as ocasiões que nos deparamos com Luna e seus brinquedos pendurados na boca na madrugada.

Mas quando Luna brinca na rua, seja correndo atrás de pássaros, correndo com outros cachorros, ou em busca de um graveto para nos mostrar, chega bastante cansada em casa, e aí, nada melhor do que um soninho para restaurar as energias. Não liga para seus brinquedos, não liga para o local nem a posição em que dorme e principalmente... não está nem aí para os móveis. Passeamos com Luna no mínimo duas vezes por dia. Uns 30 à 40 minutos de manhã e aproximadamente 1:30 à 2 horas a noite. Assim ficamos sossegados e a deixamos feliz.

Em minha opinião, para se ter um golden, ou qualquer outro animal, temos o dever de cuidá-lo com responsabilidade para que ele se torne uma ótima companhia e nos arranque sorrisos de felicidade.